4 de outubro de 2007

Pedi ao Mar alguém como tu...

Andei à deriva,
Perdi-me no Mar
Corri o Mundo
Até te encontrar

Aqui te encontrei
Neste nosso cantinho,
Enquanto procurei
Perdi-me no caminho

Olhei as estrelas
Pedi ao Mar
Alguém como tu
Para me iluminar

Viajaremos
Correremos o Mundo
Esse Mundo teremos
Num sorriso profundo

Por aqui sorri, chorei
Brinquei...olhei horizontes
Que contigo partilhei

O meu espelho é uma paisagem
Um mar azul que sei que não é Miragem
É a realidade de um acaso
Com sentido

---- Pequenina ------

* Não resisti, minha Pequenina... algo tão bonito até era pecado guardar só para mim!*

2 comentários:

Anónimo disse...

eu sabia que o poema haveria de vir aqui parar :)

a pequenina é um poço de surpresas!

abracinho*

Mariana Veloso disse...

És um poço de surpresas e de mistérios, também!!!
E eu estou a adorar descobri-los, a cada passo da nossa viagem...

abracinho*