30 de outubro de 2010

Sis


Talvez o tempo dos ponteiros do relógio marque o compasso da vida,
mas é através dos teus olhos que me guio e é no teu olhar que
vejo adiada a minha própria morte.