20 de maio de 2010

I need some forgetting time

Esta manhã comecei a esquecer-me de ti.
Acordei mais cedo que nos outros dias
e com o mesmo sono.
A tua boca dizia-me "bom dia" mas não:
não o teu corpo todo como nos outros dias.
As sombras por aqui são lentas e hoje não
comprei o jornal: o mundo que se ocupe da
sua própria melancolia.
ontem. há uma semana. há muitos meses.
um ano ensina ao coração o novo ofício:
a vida toda eu hei-de esquecer-me de ti.

- Rui Costa -

2 comentários:

naomemandeflores disse...

Nossa, que lindo!

Merenwen disse...

Há coisas - e pessoas - que, mesmo que queiramos, nunca dá para esquecer.