15 de junho de 2009

A benção, Madrinha.


Samba de Maria Luiza - Tom Jobim

* Porque para ti sempre fui Minhoca e tu para mim serás sempre Madrinha, como se esses fossem os nossos nomes próprios num mundo paralelo de afectos e cumplicidades; porque sabes que trago em mim muito de ti e porque, apesar de todas as distâncias, é também no teu rosto que me reencontro diariamente...

1 comentário:

Luisa disse...

Sabes, Minhoca, tenho um oásis muito especial, que tu partilhas, lado a lado, com um texugo e um sapinho. Noites dentro, os quatro, flutuando no sonho, fazemos brincadeiras, damos gargalhadas, antes de regressar, exaustos, ao sono. Até logo, à mesma hora e no mesmo sítio