31 de janeiro de 2009

Pois não estar é da morte quanto sei...*

Na mesma pedra se encontram,
Conforme o povo traduz,
Quando se nasce - uma estrela,
Quando se morre - uma cruz.
Mas quantos que aqui repousam
Hão-de emendar-nos assim:
"Ponham-me a cruz no princípio...
E a luz da estrela no fim!"

- Mário Quintana - A Cor do Invisível -

Obrigada a todos pelo imenso carinho...you are my strength! 

Um beijo muito especial para a minha Pequenina, a Inês, a Patareca, a Joana, o Luis, o Tiago, a Sara, as Luisas - obrigada pelas palavras, os silêncios, os olhares, os chás, os abraços, as lágrimas, mas também todos os sorrisos partilhados.


* Rosa Lobato de Faria

2 comentários:

Patareca disse...

É para as "palavras, os silêncios, os olhares, os chás, os abraços, as lágrimas, mas também todos os sorrisos" e tudo o resto que estamos cá.

Beijinhos e Hang On ***

Moony disse...

vamos ter saudades da dona Aninhas... já temos. Mas sabemos que ela onde está já não sofre mais, e que ela viverá sempre em cada um de nós.

Abracinho mais que apertado

*M&M*