9 de fevereiro de 2008

Mais longe do que a vida nos permite...

Soneto Mudo

Há o silêncio, às vezes, entre nós,
e é um silêncio denso, ou uma fala
críptica, uma linguagem que abdica
do som, para ser só a voz da alma...

Há súbitas catarses de palavras
em torrente, cachoeiras de espuma
efervescente, ou talvez a timidez
dos gestos reprimidos ou repressos.

Há os olhos que dizem sem dizer,
há o fluido subtil de quem se entende
mais longe do que a vida nos permite.

E há a confiança na ausência,
há segredos sabidos sem saber,
manhãs comuns em cada amanhecer.

- Rui Polónio Sampaio -

1 comentário:

Moony disse...

São os mais pequenos instantes que fazem os grandes momentos. É a simplicidade das palavras que lhe dão o valor... É a o valor da amizade que não tem valor, e a cumplicidade que dela advem que nos fazem sorrir. É o momento passado, o presente e o futuro com que fazem ter a certeza que tudo isto é muito para lá de cada momento, é simplesmente cada instante.

Há pessoas que fazem a diferença...TU és uma delas, my person*

M&M*